sábado, 26 de setembro de 2015

Fanfic: Memórias baseada em Mazer Runner


Hey lindos e lindas? Como vão? Espero que estejam bem, bom desculpem não ter postado nada, afinal estava meio ocupada, separei uma fic pr vcs baseada em Mazer Runner... Espero que gostem. Contem spoilers , portando se não leu ainda deixo esse avisinho

Sinopse: O pai de Brenda fez de tudo para que não levassem esta para trabalhar na CRUEL, mas não conseguiu impedir este feito. 
                             Quais seriam seus últimos pensamentos antes de morrer?



Olá, meu nome é Antones, eu sou um Crank, e nesse exato momento eu estou morrendo. Bom, deixe­me explicar... Provavelmente você já devem saber que a CRUEL foi uma iniciativa de diversos governos e blá, blá, blá. Então vou direto ao assunto. Minha filha é uma imune. Seu nome é Brenda. E a CRUEL leva os imunes para trabalhar para eles. Eu não quero isto para a minha filha. Eu sempre quis que minha filha se tornasse uma pessoa importante, mas depois que houve toda essa história dos clarões solares e tal... Isso ficou um pouco difícil... Mas bem, Eu tentei resistir de todas as formas para não levarem­na, porém acima de tudo sou um Crank, eles não podem fazer nada por mim a não ser atirar... Sou um perigo a sociedade mesmo... Dai você me pergunta: Você quer que sua filha te veja enlouquecer? 
Claro que não. Mas acima de tudo eu a amo e não quero me separar dela... Não enquanto ainda não estou totalmente maluco... Enquanto ainda tenho sanidade... Agora não tenho mais opção... Tudo o que vejo é essa bala do revolver de um agente vindo em minha direção. Mas antes que ela me atinja, eu entro em uma espécie de transe... Volto cerca de quase 18 anos atrás...
 Estou novamente em um Subtrans, voltando para casa, como se nada tivesse acontecido, como se a vida fosse normal. De repente, meu palmphone toca. Vejo na tela que é minha mulher, Lúcia. Infelizmente ela não sobreviveu aos ataques solares. Atendo. –Alô, amor?­Ela diz –Sim?­Respondo –Preciso te falar uma coisa séria... Já está chegando em casa? –Sim, já já estou ai. –Okay, até. Assim que diz isto ela desliga. Chegando em casa, sinto cheiro de frango e já adivinho que Lúcia está na cozinha. –Oi amor!­ Cumprimento –Olá! –O que você queria me falar? –Bom...Amor, eu estou grávida
. Só me vejo sorrindo e então volto para o meu estado atual. 
A bala está mais próxima de mim, então logo volto para minhas memórias. Estou no aniversário de um ano de Brenda. Ela era um bebê adorável. Nunca criava problema. Mas esta visão foi mais rápida. Só vi quando cantávamos o parabéns. E então voltei novamente. A bala estava mais próxima ainda. Mergulhei um mais uma memória. Desta vez, posso afirmar que foi uma das piores memórias que tenho. Eu havia ido com Brenda comprar um presente de aniversário para Lúcia, pois este seria dali uma semana. Brenda estava com dois aninhos, quase três. Havíamos comprado um livro de receitas novo para ela. Ela amava cozinhar. Então o Subtrans parou e as luzes se apagaram. 
 Isso não havia acontecido antes, enquanto eu andava. Era normal acontecer no passado, mas achei que devia ser apenas uma falha técnica. Até que todo começou a tremer. Gritos soavam, e pessoas saiam pelas portas recém­abertas . Peguei Brenda e sai também. A multidão corria pelas escadas, e eu apenas seguia. Quanto mais perto chegava mais quente ficava. Assim que cheguei à ampla plataforma de subestação, parei. A cena diante de mim era terrível. Corpos jaziam no chão, queimados e estava um calor infernal. Pessoas rolavam no chão, para tentar apagar o fogo da roupa. O terror emanava do local. Voltei para a “vida real” e vi que a bala estava a dois metros de mim. Nesta memória, Brenda já estava com 11 anos, muitas cosias já haviam acontecido desde o holocausto. 
Minha mulher havia morrido, e eu e minha filha havíamos nos juntado a um grupo que construiu uma pequena civilização na floresta. Estávamos bem. Até o dia em que pessoas passaram atirando em nós de cima de um Berg. Então a epidemia começou.
 Um vírus altamente contagioso, que se transmitia pelo ar começou a se disseminar. Chamava­se VC321 xb47. Mas logo passou a ser conhecido popularmente como Fulgor. Os infectados costumam ficar loucos como animais. Mas isso demora um pouco. No início da doença, as pessoas logo morriam por conta de fortes dores de cabeça e hemorragias. Naquele dia de tarde eu e Brenda estávamos no rio que cortava a vila, observando o por do sol com mais algumas pessoas. Então avistamos ao longe um grupo de Cranks Insanos chegando. Avisamos aos berros o resto dos moradores, colocamos a máscaras e partimos correndo do local, pois provavelmente estava infectado. Aquele foi um dia de grande tristeza. Sai de meus devaneios e vi que a bala havia avançado quase meio metro. Novamente caí em pensamentos. Brenda tinha 15 anos e havíamos recebido a notícia de um possível retardador da doença. Era chamado de Benção, pena que só os mais ricos podiam ter. 
 No momento estávamos a caminho de Denver, mas ainda demoraríamos a chegar. Esta lembrança foi rápida, assim como a bala que já estava a um metro de mim. Lembrei­me de quando chegamos a Denver, Brenda com 16 anos e que recebemos a notícia... Quando fui passar no teste para saber se estava infectado, deu positivo. Todo o meu grupo foi a loucura, com medo de também estarem infectados e fossem exterminados. Então fugimos todos, tristes e atordoados. Agora a bala estava a só meio metro. Agora minha lembrança foi de quando há cinco meses, Brenda cuidava de mim. 
Ela sempre me ajudou. Sempre tomou conta de mim.
 A bala estava a um palmo de me acertar, lentamente fechei meus olhos e tive uma última visão. Provavelmente do futuro.
 Escutei Brenda gritar e vi ela. Estava sentada num gramado verde, ao lado me um garoto, estavam de mão dadas. E pela última vez pensei que talvez, meu sonho se realizasse.
 Talvez minha filha se tornasse uma pessoa importante. Talvez, ela fosse um importante elemento para a salvação desse mundo não tão perdido... 

Fim, espero que gostem fofuxos


2 comentários:

  1. Oi Maria, eu adorei a fic. Eu uso o meu blog para fazer resenhas de fics. Caso tenha alguma que queria que eu divulgue me procura..... Beijos de luz....

    www.flocsflocs.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi fofa, que bom que gostou fico muito feliz com isso..... Pode deixar que procuro sim, tenho algumas pra revisar e te aviso

      bjinhos

      Excluir